Zine Cultural - 11 Anos

Publicidade

PJF
DENGUE
BLACK
VÍCTORY SUITES JF

26 Mar 2014

Juntos Somos Fortes

Publicado em Blog as 16h17





Juiz de Fora já está, definitivamente, no caminho do Reggae no Brasil. Já passaram por aqui grandes nomes como Planta & Raiz, Natiruts, The Wailers Monte Zion, The Congos, Groundation, Chimarruts, e tantos outros da elite do Reggae nacional e internacional. Além de ser o berço de outras bandas que tem como influência o ritmo jamaicano como Onze:20, Etcoetera e Só Parênt.

Agora, um dos maiores nomes do reggae brasileiro retorna à nossa cidade para mais um show inesquecível.  Ponto de Equilíbrio agita a noite do Cultural Bar com  sua nova turnê, Juntos Somos Fortes. E como de costume, o Zine bateu um papo com os reggaeiros. Confira a entrevista e entre no clima.  

Quais as principais influências do Ponto?
Ponto de Equilíbrio: Ponto de Equilíbrio é uma banda bem eclética, tendo o reggae como fio condutor. Sobre as influências musicais, todos ouvimos muita música produzida na jamaica nos anos 1970, como Bob Marley, Peter Tosh, Bunny Wailer, Burning Spear, Israel Vibration, Abyssinians, Don Carlos e The Congos. Também novos nomes como Damiem e Julian Marley. Também admiramos a música feita em diversas partes da África e a música brasileira como o Samba. Esses são apenas alguns exemplos.

Vocês ainda têm vontade de fazer alguma parceria, com músicos nacionais ou internacionais, que ainda não foi feita?
Ponto: Estamos lançando nosso primeiro DVD JUNTOS SOMOS FORTES com participação de Marcelo D2 e Laurinho D'ORappa. No álbum anterior, Dia após dia Lutando, tivemos a honra de gravar com grandes ícones da música reggae, o quarteto The Congos e o cantor Don Carlos, além de D2 e Jorge Du Peixe da banda Nação Zumbi. Com The Congos e Don Carlos gravamos dois video-clipes e fizemos apresentações em diferentes cidades. Admiramos o som de muitos artistas nacionais e internacionais e só para citar alguns deles, posso dizer que será uma grande satisfação caso um dia venhamos a gravar com algum membro da família Marley e no Brasil, com Jorge BenJor. 

Com tantos pop/reggae ganhando cada vez mais a mídia em trilhas sonoras de novelas, como o Ponto vê o cenário do reggae de raiz no Brasil?
Ponto: O reggae é um gênero musical que possui várias vertentes e desdobramentos, desde o Ska e o RockSteady que antecederam o reggae propriamente dito e ainda hoje fazem história. O roots reggae da década de setenta bebeu na fonte da música RastafarI com os tambores Nyahbinghi e da música americana R&B, Soul e etc e também deu origem ao dub, ao dancehall, ao raggamuffing e daí por diante. Hoje existem artistas que muitos chamam de "newroots". Nós do Ponto de Equilíbrio nos identificamos com a música reggae como um todo. Sem muitos rótulos, buscamos fazer nossos experimentos musicais e sempre respeitando a musicalidade dos demais. Existe sim um público que admira o reggae de Norte a Sul do Brasil e idependente de modismos passageiros o reggae é uma música que ultrapassa gerações e está aberta ao diálogo com outras vertentes musicais.

A que vocês atribuem o motivo do pouco espaço dado pela mídia às músicas com críticas sociais, como as que o Ponto faz? 
Ponto: Possivelmente isso vem do fato de que a crítica social desperta uma mobilização coletiva em busca de melhores condições de vida e muitas vezes a televisão e a mídia como um todo tem a tendência de manter seu público passivo, enfatizando apenas seu potencial de consumidor e não de sujeito e agente em decisões mais sérias na esfera pública, como a política.

O Reggae historicamente é associado à maconha. Qual a posicionamento da banda em relação a isso? Como essa associação interfere no mercado fonográfico para o Ponto? 
Ponto: Historicamente o reggae sofre preconceitos por ser uma música de negros, de pobres, vinda de um país de "terceiro mundo" e também por estar relacionada ao uso desta planta, a Cannabis. Evidentemente isso não é um pré-requisito para ouvir reggae e da nossa parte não fazemos apologia. Falamos pontualmente sobre esse tema, como por exemplo na música "Santa Kaya", trazendo uma reflexão e uma narrativa histórica do uso desta erva, apontando para seu potencial medicinal e para diferentes usos em contextos culturais distintos. Não sei de que forma isso interfere diretamente no mercado fonográfico, mas é evidente que algumas marcas (e eventualmente gravadoras) podem pensar duas (ou algumas) vezes antes de ligar seu nome ao gênereo musical no qual o uso da Cannabis está atrelado, podendo concluir que isso pode trazer alguma falta de prestígio à sua marca no mercado e consequentemente a diminuição do lucro que possuem. Mas por outro lado, um novo momento histórico internacional, tal como está acontecendo no Uruguai e em outros países apontam em um sentido oposto, ou seja, a partir do momento em que esta erva deixa de ser marginalizada ela pode vir a ser vista com bons olhos, tendo qualidades medicinais e outras a serem destacadas, sendo inclusive uma potencializadora da economia de um país e das empresas que estejam lado a lado.
 
O Show acontece na quinta, 27, no Cultural Bar & Roll. Até lá! 

Publicado por: Vinícius Barreto


  Imprimir Página Comentários Indique a um amigo
 



25 Mar 2014

Amor em cada mordida

Publicado em Blog as 17h16





Escorpiana, Mariana Dahbar gosta de dar um toque personalizado em todas as coisas ao seu redor. No aniversário de um ano do filho, ela resolveu fazer tudo por conta própria e, inspirada nos cakepops que conheceu enquanto morava nos EUA, fez os doces para a festa do pequeno.
“Mas na primeira vez não deu certo! Os bolinhos desmontaram e saiam do palitinho. Eu resolvi continuar testando e fui distribuindo entre os conhecidos. As pessoas gostaram e vi aí uma oportunidade de ganhar uma renda extra.” Assim a "prata da casa" Mariana criou a Lovabite, que rapidamente virou sucesso entre os juiz-foranos.
Completando seis meses, o negócio tomou forma e passou a ser a fonte principal de renda da professora de inglês. “Jamais imaginei que chegaria a essa proporção, mas foi tudo acontecendo muito naturalmente. Até o nome foi criado despretensiosamente, enquanto buscava um domínio próprio na internet. Achei Lovabite, um 'amor em cada mordida', uma boa tradução para o que eu estava fazendo. Já na segunda semana de vendas, fiz mais de 300 pirulitos.”
A partir daí, Mariana foi aprimorando a técnica, dando prioridade ao sabor e usando produtos diferenciados. “Acho que o que mais surpreende as pessoas é o sabor. Por mais que os pirulitos sejam bonitos, com diferentes e criativos temas, as pessoas que experimentam se surpreendem porque tendem a achar que, por serem tão bonitos, não devem ser tão gostosos.” E assim, ela pretende continuar o trabalho, focando em produtos cada vez mais saborosos e personalizados.

Publicado por: Talita Scoralick


  Imprimir Página Comentários Indique a um amigo
 



24 Mar 2014

Mais independentes que nunca

Publicado em Blog as 18h00





Com 13 anos de estrada e grandes sucessos na bagagem, a banda Fresno esteve de volta a Juiz de Fora neste domingo (23), para show no German. Em entrevista ao Zine Cultural, o vocalista Lucas Silveira fala sobre a nova fase da banda em cenário independente e o disco que será lançado na próxima semana.
 
Como está a carreira da banda com a volta ao cenário independente?
Nós temos mais tempo de independência do que gravadora. Estamos bastante acostumados com a autogestão da banda e a volta à independência nada mais é do que uma volta à normalidade. Nós estamos no centro de tudo que é criado e dito pela banda, nossa obra está 100% no nosso controle e o contato com a base de fãs é direto com a gente. 
Há 13 anos na estrada, quais as principais mudanças que vocês observam na banda e no público que os acompanham?
O público com certeza acompanha nossa evolução, e muitas pessoas vão aos nosso shows há oito, dez anos e jamais nos abandonaram. Nós estamos sempre preocupados em evoluir artisticamente e deixar isso claro na nossa criação, sem jamais soar repetido ou um cover de nós mesmos.
Como foi a ideia de gravar um único clipe para duas músicas?
Na verdade elas são praticamente uma só. A faixa instrumental que precede 'Farol', é um tema que prepara o ouvinte pro que vai ser dito a seguir. E como essa introdução tem uma cara bem cinematográfica, precisamos incluir ela na edição do vídeo.

Vocês já tocaram em todos os principais festivais do país e também em importantes eventos no exterior. Qual lugar mais marcou a história da Fresno e onde vocês ainda gostariam de tocar?
Ainda há muito a ser feito. Felizmente, ainda tenho muitos sonhos e objetivos a serem realizados. Um desses sonhos é tocar no Rock in Rio, festival em que jamais tocamos. Ano passado apresentei o festival para o Multishow e tive ainda mais certeza de que deveria estar tocando lá.
Pra terminar, quais as novidades vocês estão preparando por aí?
Na próxima semana lançaremos nosso novo disco, "Eu Sou A Maré Viva", e estamos muito animados com essa nova fase. A partir disso segue uma turnê para divulgação do novo trabalho.

Publicado por: Talita Scoralick


  Imprimir Página Comentários Indique a um amigo
 



24 Mar 2014

Festa Country 2014

Publicado em Blog as 14h55





 
Começa hoje a venda de ingressos para a Festa Country 2014 que acontece de 22 a 24 de maio no Parque de Exposições de JF.  Com 17 anos de tradição, este ano a festa já conta com 5 das maiores atrações do cenário da música nacional. Confira:
  • 22/05 (quinta-feira)  Thiaguinho e grupo Bom Gosto
  • 23/05 (sexta-feira)  Jorge & Mateus
  • 24/05 (sábado) Onze:20Capital Inicial


Além dessas grandes atrações, a Festa Country vai contar com artistas da região cantando no Palco ALÔ FM. O evento tem a assinatura da Front Produções. Ingressos à venda no stand da Rua Mister Moore.

Confira abaixo os valores do 1º lote divulgados hoje pela assessoria do evento:
Pista:
  • Estudante: R$30,00
  • Promocional: R$35,00 + 1kg de alimento não perecível (exceto fubá e sal)
  • Inteira: R$60,00

Camarote (também à venda na loja Planet Music):
  • Feminino: R$80,00
  • Masculino: R$100,00

Passaporte:
  • Passaporte pista: R$70,00
  • Passaporte camarote feminino: R$160,00
  • Passaporte camarote masculino: R$200,00


  Imprimir Página Comentários Indique a um amigo
 



24 Mar 2014

Novidade no Mundo Fitness

Publicado em Blog as 14h00





Se você costuma frequentar uma academia, provavelmente já ouvir falar do TRX, ou Treinamento Suspenso, a mais nova queridinha, dentre as modalidades de aulas coletivas! O TRX possui uma história bem curiosa... Vem de um integrante da Marinha Americana, Randy Hetrick, que teve a ideia de usar tiras de paraqueda, borrachas de barcos e outros materiais para praticar exercícios físicos, nos longos períodos em que ficava dentro dos navios e submarinos. Os resultados foram tão animadores que Randy pediu baixa da Marinha e começou a estudar o equipamento e aprimorar o acessório.

Atualmente, o TRX é composto de tiras de nylon ligadas a um gancho e conectadas a uma estrutura no teto. O aparelho pode ser usado por pessoas de todas as idades, com qualquer nível de preparo físico, já que a intensidade do treino é variável, de acordo com o ângulo de inclinação do corpo! E as vantagens dessa maravilha da atividade não param por aí! Ela ainda é classificada como um treinamento funcional, onde músculos de todo o corpo são trabalhados. Ou seja, em apenas uma aula, você se exercita por inteiro!

E a melhor parte ainda está por vir! Acreditem vocês ou não, em uma aula de aproximadamente 30 minutos, é possível perder até 700 calorias (é ou não a maior novidade dos últimos tempos?). E pra saber se isso tudo é verdade - ou só enrolação - essa estagiária que vos fala, foi experimentar uma aula de TRX! E sim galera, é tudo verdade! No que deu pra perceber em apenas uma aula, esse treinamento é sensacional mesmo. Dá pra sentir todos os músculos do corpo sendo trabalhados e ainda assim é uma aula super divertida de fazer. Saí de lá com a sensação de dever cumprido e esperançosa com a ajuda do TRX no meu projeto fitness!

Em Juiz de Fora, uma excelente opção para quem quer experimentar a nova modalidade é a FibraTech (que agora tem duas unidades, uma no Alto dos Passos e outra no Centro). O Professor Rogério Tasca conta que a modalidade é sucesso absoluto na unidade do Centro e todas aulas tem fila de espera. "Na unidade Alto dos Passos a aula estreia no mês de abril e a ansiedade já está grande, tanto por parte dos professores, quanto pelos alunos. Está sendo uma ótima alternativa para quem não gosta da musculação tradicional, pois traz benefícios semelhantes, além de ser realizada em grupo, com músicas animadas!"

Já tá morrendo de vontade de correr pra academia e experimentar essa aula que é tudo de bom na vida? Então aproveita porque nesse mês a FibraTech inaugura o plano multiuso, onde você pode frequentar as duas academias. Corre logo pra aula de TRX, que o sucesso é garantido

#partiuprojetoverão2015

Publicado por: Natália Andrade


  Imprimir Página Comentários Indique a um amigo
 



Anterior | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | Próximo

Publicidade

SERTANEJO RETRO

Twitter

Publicidade

PERICLES
ATITUDE
Open TV
André Pavam
VISTA GRAF
Powerline

Coluna do Dia - 22/04/2014

22 de abril de 2014
+ ver todas as edições