Entrar
Clique aqui para entrar

Dia do Baterista: Kadu Carvalho - Zine Cultural

Blog

Dia do Baterista: Kadu Carvalho

Por: Tainá Voltas

Baquetas em punho e o sinal para o restante da banda se posicionar é dado! Em um show ao vivo, o famoso som amadeirado da marcação "1, 2, 3" logo no início das canções, faz todo mundo ficar atento e se preparar para o que está por vir: a música! O público fica ansioso, alerta, em frenesi, e eles, os responsáveis por anunciar o espetáculo dessa forma tão singela, disparam a habilidade sobre pratos, bumbos, caixas, surdos e o que mais compuser as baterias! Para comemorar o dia deles (20/09), dos que escolheram esse instrumento como o de coração, nada melhor do que conhecer os bateristas que mandam ver no cenário juiz-forano. Para isso, confira o trabalho de Kadu Carvalho, ao som de uma das bateras mais lembradas da história! Dê o play e divirta-se!

   

Baterista Nirvana: Dave Grohl 

Carlos Eduardo Carvalho, mais conhecido como Kadu, é o atual baterista da banda do Gabriel O Pensador, mas já teve muita história com o instrumento aqui pela cidade!  

Por que a bateria? 
A bateria você não escolhe, você descobre. Na verdade, é a bateria que te escolhe. Tentei ser guitarrista, baixista e tecladista, quando eu desisti de tudo, virei baterista (risos)! E essa frase resume tudo muito bem, pois fui pego pela forma natural e abrangente de envolver o corpo. A sincronia entre os movimentos tem o poder de acalmar por tratar-se de uma atividade prazerosa. Só quem é baterista sabe o sentimento! Realmente não é fácil explicar, mas hoje tenho certeza que a minha escolha foi certa. 

Como se deu a sua história com a banda do Gabriel O Pensador? Como é a rotina de trabalho de vocês? 
Tudo começou com um trabalho que fiz com alguns integrantes da banda Los Hermanos do Rio de Janeiro. Logo depois fui indicado por um grande irmão para fazer parte do projeto do Gabriel O Pensador. Isso na verdade, em nada tira o mérito de todos os trabalhos que realizei em Juiz de Fora, inclusive com a banda Onze:20, que atualmente, é uma das bandas de maior destaque em nosso país. Do início dessa história, já se passou um ano e meio, muitas viagens pelo Brasil inteiro, Angola, Uruguai, Espanha e Portugal! E quanto à rotina, eu te respondo com toda a certeza e com sorriso no rosto: não existe nenhuma! (risos)  


O que de fato significa ser responsável pela bateria de uma banda?
No meio da música costumam dizer que a bateria é o coração da banda. O baterista é extremamente importante no que se refere ao desempenho do grupo, pois é um instrumento percussivo, o que dá o ritmo para a canção, determinando o andamento durante toda a execução.

No processo de composição de uma melodia como o baterista trabalha? Em particular, como você atua? 
Acredito muito na frase que diz que a produção musical é composta por 5% de inspiração e 95% de transpiração (risos). Procuro sempre refletir sobre o tema que está sendo tratado na música, reparar na velocidade dela e também, no clima que ela transmite (algo feliz ou triste). Para somente a partir dai começar a composição sem perder a linguagem e a ideia que a música quer passar. Nunca perdendo a coerência. Foco bastante na introdução, pois são os primeiros segundos da música que devem causar um impacto positivo. Começo pequeno, para depois evoluir, levando a música para o sentimento mais verdadeiro possível. 


Quais são suas inspirações na área? 
Acho que o mercado atualmente exige que o profissional saiba, ou no mínimo conheça, um pouco de tudo. Aprendi a escutar e respeitar todos os estilos e a concluir que tudo tem o seu valor. Porém, tem sim os que mais me identifico e, consequentemente, inspiram e influenciam minha linguagem. Carlos Bala (Djavan), Carlton Barrett (Bob Marley) e Carter Beauford (Dave Matthews Band).


Kadu com banda Wash

Você tem algum tipo de ritual para tocar, vai de show para show? Como funciona a preparação?
Opa. Claro!  Isso não pode faltar nunca! (risos) Em primeiro lugar, estar bem comigo mesmo pois na musica você passa nitidamente o que você está sentido. Agradeço a Deus por mais um dia passando sentimento e energia, faço 15 minutos de alongamento, 10 minutos de aquecimento, coloco um “Damian Marley” no volume dez e bebo uma cerveja gelada! (risos)


Quem não conhece muito de música, às vezes desvaloriza a bateria. Qual diferencial ela traz para as canções?
Sem dúvidas, quem desvaloriza conhece pouco e está precisando ouvir ou dançar mais (risos) A bateria é um instrumento percussivo e fundamental para definir o caráter ou personalidade da música. É ela que te coloca para dançar, afinal, quem nunca sambou em um churrasco ou em um bar ao som de garrafas, copos, caixas de fósforos e talheres (risos)?

Para conferir a entrevista com outros baterista da cidade, veja nossa matéria exclusiva! É só clicar AQUI. Vem que tá lindo! 

Zine Imóveis
// Imóveis em destaque!
Publicidade