Entrar
Clique aqui para entrar

16 projetos musicais feitos por mulheres em JF! - Zine Cultural

Blog

16 projetos musicais feitos por mulheres em JF!

Por: Tainá Voltas

Como dissemos na primeira publicação Zine Cultural no Dia Internacional da Mulher, hoje todos os nossos conteúdos serão voltados para elas, sobre elas e/ou que deem visibilidade à elas. Por isso, abaixo você conhece 16 projetos musicais de juiz-foranas que mandam ver na cena autoral e na representatividade. 

 

 

1) Alessandra Crispin
 

Após sua participação no The Voice Brasil, em 2013, a representante do samba juiz-forano - Alessandra Crispin - despontou também no cenário nacional. É compositora, cantora, instrumentista e já se apresentou em diversas casas de shows, além de ter sido uma das principais vozes do Bloco Come Quieto! 

• Ritmo: Samba e MPB
• Trabalhos: YouTube | Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

2) Banda Matilda
 

A Banda Matilda, formada apenas por mulheres, se apresenta no cenário cultural da cidade desde 2016. Amanda Martins (flauta), Bia Nascimento (violão), Fabrícia Valle (percussão) e Juliana Stanzani (voz) mesclam suas referências e repertórios para formar os trabalhos Matilda. Em 2017 levaram para casa o prêmio do WebFestValda e atualmente trabalham o projeto Patuá com 12 canções autorais.

• Ritmo: MPB, Música Autoral, Música Brasileira
• Trabalhos: YouTube | SoundCloud
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

3) Bruna Marlière
 

Bruna Marlière é uma cantora e compositora de Juiz de Fora que integra o elenco da banda Blend 87. Juntos desde 2012, a banda conta com o apoio da artista no vocal e nas letras. Têm músicas que vão do MPB ao rock, em uma eterna melodia. 

• Ritmo: Rock, MPB, Autoral
• Trabalhos: YouTube | Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

4) Carolina Serdeira
 

Com uma carreira que teve início em 2007, Carolina Serdeira consolida seu projeto que vai da bossa, samba, bolero, ao jazz por diversas apresentações em JF e região. Em 2018 lançou o "DVD 10 anos de carreira", gravado no Teatro da Praça CEU, em novembro de 2017. 

• Ritmo: Bossa, samba, bolero, jazz.
• Trabalhos: YouTube | Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram
 

 

5) Carol Fávero
 

Dentro do conteúdo "Mulheres na Música", Carol Fávero vem para representar as DJs e produtoras! Com uma carreira relativamente recente no mundo dos setlists, já conquistou lugares cativos em importantes festas e casas da região, como a Waves, Danke Club, Privilège, Go Fresh, Lotus (UBÁ) e muito mais! 

• Ritmo: Eletrônico
• Trabalhos: Soundclound
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 


Carol Fávero no Privilège | Foto: Wanderson Monteiro

 

6) Carol Tavares
 

Conhecida em Juiz de Fora por se apresentar em bares e restaurantes, a musicista Carol Tavares tem 8 anos de carreira! É de Muriaé, mas foi em JF que se encontrou na música. Mistura ritmos, já compôs mais de 100 músicas e gravou cerca de 20 canções.
 

• Ritmo: MPB, Samba, Rock, Black Soul Music, Música Autoral, Música Brasileira
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

7) Ellas
 

O ELLAS, que inicialmente surgiu como um quarteto em 2018, agora atua como um trio formado apenas por mulheres: Lorena Fernandes, Anne Jaenicke e Carol Vitral. O repertório da banda mescla grandes clássicos do rock em uma versão com voz e violão. O projeto se apresenta nos mais diversos tipos de eventos da cidade e até já abriu o show d'Os Paralamas do Sucesso em Viçosa. 

• Ritmo: Clássicos do Rock
• Trabalhos: YouTube
• Redes Sociais: FacebookInstagram

 

 

8) Laura Conceição
 

Laura Conceição é umas das mais jovens e potentes representantes da cena rap e poética de Juiz de Fora. Participante ativa das rodas e batalhas de MC, também é destaque nas competições de poesia falada chamadas SLAM. Na etapa nacional em 2017 ficou entre as primeiras colocadas e agora em 2019 se prepara para o lançamento do seu primeiro CD. 

• Ritmo: Rap
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

9) Laura Januzzi
 

Aos 25 anos, Laura Januzzi desistiu do curso de medicina e passou a se dedicar profissionalmente à música. Influenciada pelas canções de MPB, folk, jazz e música alternativa, a cantora desenvolve um trabalho autoral, acompanhada de guitarra, bateria, teclados e percussão ou as vezes só com violão. Laura venceu o Festival de Música Popular em Barbacena (2016) e participou de outras premiações. 

• Ritmo: MPB
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 


 

10) Luísa Moreira
 

Com 22 anos Luísa Moreira é uma jovem cantora e compositora juiz-forana. Lançou seu primeiro EP, intitulado "Todos os sonhos estão no vento", em dezembro de 2017, com o auxílio de 150 pessoas em uma vaquinha online. Luísa une melodias aos seus poemas que são criados inspirados no que sua avó escrevia. 

• Ritmo: MPB
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

11) MC Xuxu
 

Vinda da periferia de Juiz de Fora, Karol Vieira se apresenta ao mundo como MC Xuxu. Em 2007, quando ainda era chamada de Leonardo, conheceu os movimentos comunitários de sua região e foi apresentada ao RAP. Anos depois, lançou canções que levavam sua verdade – ou a realidade das minorias sociais - a diversos cantos do país, como “O Clã”, “Cuida do Seu”, “Um beijo”, com mais de 2 milhões de visualização no Youtube, e muito mais. Atualmente se arrisca também pelo mundo do funk.

• Ritmo: Pop, funk e rap
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

12) Olympia Tennis Club

 
Outro super trio faz parte da seleção de Mulheres na Música de Juiz de Fora. O Olympia Tennis Club surgiu de encontros despretensiosos entre amigas que estavam aprendendo a tocar alguns instrumentos. As garotas são inspiradas pelo som underground dos anos 80, como Kill Rock Stars, K Recs, The Amps e Beat Happening.


• Ritmo: Rock
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

13) Sandra Portella


A sambista Sandra Portella passou por algumas bandas antes de se consolidar em carreira solo. Já gravou três álbuns e foi indicada ao 29º Prêmio da Música Brasileira como melhor cantora na categoria Samba. Sandra Portella teve a oportunidade de fazer participações com grandes cantores brasileiros, como Alcione, Xande de Pilares, Dudu Nobre e muito mais.

• Ritmo: Samba
• Trabalhos: YouTube | Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

14) Tata Chama e as Inflamáveis


Tata Chama & As Inflamáveis é um projeto formado pelas amigas Alice Costa, Sarah (Saturno), Daniela Zorzal, Nicolle Bello e Tata Rocha. Com afinidades em comum e com influências em sons da natureza, conhecimentos profundos das culturas tradicionais, entre outros elementos existentes na Terra, elas desenvolvem uma música alternativa com uma pegada psicodélica. 


• Ritmo: MPB, alternativo
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

15) Thainá Kriya


A rapper Thainá Kriya é conhecida em Juiz de Fora por fazer parte de coletivos dedicados ao hip-hop, como o WAV, que reúne DJs e amigos, amantes da música e da arte da mixagem; Rap de Mina, com a representação feminina neste estilo. Recentemente Thainá fez parceria no clipe "Siga em Frente" do MC, também juiz-forano, Marcelo Marte. 


• Ritmo: Rap
• Trabalhos: YouTube
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 

16) Uiara Leigo


Com 10 anos de carreira, Uiara Leigo se firmou no cenário artístico por suas composições formadas por influências que navegam pelo samba, baião, ao rock. Voz e estilo marcantes nas interpretações da Música Popular Brasileira são o que a definem, seja nos eventos ou nos barzinhos em que se apresenta. Em 2019, a cantora lançou seu terceiro trabalho autoral, o EP "O tanto que doeu".


• Ritmo: MPB e Músicas Brasileiras
• Trabalhos: YouTube Spotify
• Redes Sociais: Facebook | Instagram

 

 



Conhece algum outro projeto musical formado ou encabeçado por uma mulher? Conte pra gente nos comentários! Ao longo do dia você ainda confere o terceiro e último conteúdo especial para o Dia Internacional da Mulher: Mulheres na Literatura. 

Zine Imóveis

// Imóveis em destaque!
Publicidade